Ir à lista de artigos
04/15/21Dev

Pergunte ao VALORANT – Esports (abril de 2021)

Compartilhar:

PERGUNTA

Vocês podem explicar melhor sobre a distribuição de vagas regionais do Masters: Reykjavik?

RESPOSTA

Um dos nossos principais objetivos para 2020 era estrear eventos internacionais o mais rápido possível. Enquanto fazíamos o planejamento do Mid-Season Invitational de League of Legends, tivemos a oportunidade de usar aquela estrutura para fazer um torneio internacional presencial de VALORANT com 10 equipes mais cedo do que o esperado. Porém, com a limitação no número de equipes, nossa maior prioridade foi garantir que cada uma das sete regiões de VALORANT fosse representada em nosso primeiro evento global.

Por isso, tivemos que tomar decisões difíceis quanto às três vagas restantes. Analisamos o seguinte em cada uma das regiões: público, visualizações, infraestrutura de Esports e participação das equipes nos torneios do VCT. Nesses critérios, a EMEA, a América do Norte e o Brasil ficaram muito bem classificados. No final, optamos por conceder uma vaga adicional para cada uma dessas regiões para otimizar a diversidade regional do nosso primeiro evento internacional e gerar um torneio mais emocionante. Porém, é possível que ainda aconteçam mudanças na distribuição de vagas nos próximos eventos, de acordo com o que aprendermos em Reykjavik.

Estamos ansiosos para conferir o que o futuro reserva para as regiões LATAM, JP, KR e SEA. Conforme nossos torneios crescem, vocês verão mais equipes dessas regiões em eventos internacionais. Acreditamos no futuro de todas as nossas regiões e mal podemos esperar para realizar competições internacionais maiores com cada vez mais diversidade regional.

    -     Alex Francois, Líder Global de Operações Competitivas dos Esports de VALORANT

    PERGUNTA

    Como é que vocês selecionam os locutores que trabalham nas transmissões regionais? Quem é que faz essa seleção em cada região?

    RESPOSTA

    Tivemos várias discussões esse ano sobre como os locutores são selecionados para as transmissões regionais, e se era possível colocar um locutor de uma região para trabalhar com partidas do VCT de outra região.

    No início do VALORANT Esports, algumas equipes de transmissão fizeram testes usando locutores de regiões geograficamente distantes das regiões dos jogadores e das equipes de produção. Isso resultou em uma grande variedade de atrasos no áudio, já que os sinais precisavam passar e voltar por todo o Oceano Atlântico antes de serem distribuídos para as equipes de transmissão.

    Esses atrasos ficavam nítidos, principalmente, durante disputas ao vivo que envolviam locutores de diferentes continentes. No caso das transmissões regionais, selecionar locutores que estão geograficamente distantes uns dos outros e das equipes de transmissão da Riot cria limitações técnicas que impactam a qualidade da transmissão geral.

    Para otimizar o processo e garantir a melhor qualidade possível nas transmissões, após a experiência que tivemos no First Strike, decidimos escalar para o VCT locutores que estivessem fisicamente próximos da competição e da equipe de transmissão. No caso do Masters: Reykjavik, estamos planejando montar uma transmissão em inglês unificada, que contará com representantes de várias regiões. Essa é uma abordagem similar à usada em League of Legends, em que usamos locutores que estão todos próximos uns dos outros fisicamente.

    -     Stefan Richardson, Gerente Sênior de Transmissões Globais da Riot Games

    PERGUNTA

    Qual é a filosofia por trás da estrutura de pontuação do Masters deste ano?

    RESPOSTA

    Quando estávamos determinando quantas equipes se classificariam para o Champions esse ano, tínhamos um objetivo principal: realizar o torneio mais competitivo possível. E para isso, foi necessário avaliar vários fatores. Primeiro, precisávamos garantir que as equipes recompensadas tivessem mostrado resultados consistentes durante o ano. Porém, também foi necessário avaliar os resultados mais recentes, já que finalistas próximos à data do Champions têm melhores indicativos de sucesso do que finalistas do mês anterior. Por último, consideramos que, conforme nos aproximamos de uma competição internacional, a dificuldade do Masters aumenta.

    Isso tudo é resultado da nossa atual estrutura de pontos do Masters. Acreditamos que o equilíbrio entre poucos pontos nos eventos Masters regionais, seguido por um aumento de pontos com o Masters: Reykjavík e mais um aumento na Etapa 3 do Challengers (juntamente com a qualificação automática no Champions para a equipe vencedora) nos ajudará em nossos objetivos.

    É importante lembrar que esses pontos também serão levados em conta na estruturação das Qualificatórias Finais – torneios panregionais que selecionarão as últimas equipes do Champions, e não apenas para a classificação do próprio Champions.

    Para quem quiser saber mais, nós publicamos recentemente uma análise detalhada do VCT 2021 que dá mais detalhes em relação a isso.

    Current_Point_Standings_por-BR.jpg

    -     Alex Francois, Líder Global de Operações Competitivas dos Esports de VALORANT

    PERGUNTA

    As regiões que não estão participando atualmente dos eventos oficiais do VALORANT Champions Tour ainda vão poder se classificar para o Champions?

    RESPOSTA

    Queremos expandir as oportunidades competitivas das regiões enquanto damos as boas-vindas a cada vez mais jogadores em VALORANT. Circuitos como o Strike Arabia, mesmo não fazendo parte do VCT, permitirão que jogadores do Oriente Médio e do Norte da África possam participar da Qualificatória Final da EMEA (tendo assim a oportunidade de seguir para o Champions). Queremos adotar uma abordagem parecida em relação às outras novas regiões, o que vai acabar gerando Qualificatórias Finais maiores, mais competitivas e mais inclusivas no final deste ano.

    -     Kasra Jafroodi, Líder Global de Estratégia dos Esports de VALORANT

    PERGUNTA

    Quando o recurso de participação dos treinadores vai chegar ao VALORANT?

    RESPOSTA

    É oficial: a participação dos treinadores começará na Atualização 2.08! Estamos muito animados para ver os treinadores mais presentes nas partidas e planejamos fornecer mais ferramentas de análise no futuro.

    No geral, encaramos a relação entre treinadores e jogadores como uma dinâmica importante para o nosso Esport. Já temos algumas ideias que gostaríamos de colocar em prática, então vamos conversar com jogadores (especialmente líderes do jogo) e treinadores num futuro próximo para concretizar esses planos.

    A Atualização 2.08 vai trazer uma versão básica, mas continuaremos inovando e desenvolvendo ainda mais esse recurso com o passar do tempo. Queremos aprimorar ainda mais as ferramentas para treinadores com o auxílio dos participantes do VCT.

    -     Riley Yurk, Estrategista de Esports de VALORANT

      0