Ir à lista de artigos
07/02/20

Pergunte ao VALORANT #2

Este é o Pergunte ao VALORANT. Reunimos perguntas feitas pelo público e selecionamos algumas para responder a cada duas semanas. Nesta semana, falaremos sobre a interação de regiões, o sistema de seleção e banimento e a possibilidade de lançarmos um modo estilo todos-contra-todos.


PERGUNTA

Vocês têm planos para mudar a mecânica de impacto de tiro na mira (que é sua mira mexer quando atiram em você)? É possível que cada arma tenha uma quantidade de impacto diferente no futuro?

RESPOSTA

No momento, não, mas acredito que podemos amenizar um pouco o impacto de tiro em alguns casos extremos. Por exemplo: um tiro a longa distância de uma pistola ou escopeta que causa pouquíssimo dano ao agente, mas que acaba tendo um grande impacto no posicionamento de sua mira.

—Trevor Romleski, Designer de Jogos Sênior


PERGUNTA

Muitos de nós queremos saber: vai rolar um modo estilo todos-contra-todos?

RESPOSTA

Traremos um modo nesse estilo para VALORANT no futuro, com certeza. Ainda não temos uma data planejada, mas estamos trabalhando ativamente na tecnologia que ditará esse modo, bem como em seu design, iteração, protótipo e fase de testes.

—Jared Berbach, Produtor Chefe de Modos de Jogo


PERGUNTA

Vocês têm planos para transformar o cliente de VALORANT em um aplicativo que não exija a execução em tela cheia?

RESPOSTA

"No momento, não temos planos para dar aos menus de VALORANT configurações de exibição próprias como existe no cliente do LoL (onde é possível abrir uma partida de tela cheia em um cliente de tela menor que contém notícias, Loja e lista de amigos). Não temos previsão para que algo assim aconteça, pois VALORANT tem apenas um aplicativo executável estilo tudo-em-um, enquanto LoL conta com dois executáveis separados. Atualmente, os jogadores têm a opção de colocar o jogo em modo janela ou em tela cheia, o que também se aplica às experiências dentro das partidas."

—Steven Eldredge, Produtor


PERGUNTA

Teremos um sistema de escolha e banimento para Agentes e mapas?

RESPOSTA

Já consideramos fazer uma fase de seleção, mas gostaríamos de não ter banimentos. Vou explicar com mais detalhes: as equipes têm jogadas e estratégias já montadas que precisam de certos agentes para funcionar. Se um agente específico fosse banido, jogadas inteiras seriam invalidadas, e não queremos desencorajar a formação de estratégias por conta disso.

Em segundo lugar, é normal ver o melhor agente de um jogador ser removido na fase de banimentos, e queremos que nossos jogadores especialistas em um certo personagem possam usá-lo e mostrar suas habilidades. Por fim, como VALORANT não tem agentes específicos que servem para contra-atacar diretamente os demais (já que isso não faz parte da nossa filosofia de jogo), acreditamos que o jogo permanecerá mais saudável se nos comprometermos a não deixar que agentes ou estratégias focadas neles sejam tão opressivos ou difíceis de lidar a ponto de usarmos o sistema de banimento como nossa única resposta viável para resolver isso.

—Trevor Romleski, Designer de Jogos Sênior


PERGUNTA

Vamos ter a possibilidade de jogar em outros servidores? Por exemplo, jogar em servidores da América do Norte mesmo estando na Europa?

RESPOSTA

Sabemos que é fácil manter amizades formadas por pessoas que moram a quilômetros de distância, mas não é tão fácil assim manter uma conexão de internet estável e adequada com toda essa distância. Todas as partidas de VALORANT precisam ser hospedadas em um único servidor de jogo localizado em um único local físico. Por isso, mesmo permitindo que um jogador japonês entre na mesma fila que um jogador britânico (por exemplo), um deles teria que se conectar a um servidor muito distante de onde mora. Isso também significa que todos os outros 8 jogadores teriam que jogar com alguém com uma conexão ruim – e ninguém está a fim de passar por isso, né? Ficaremos de olho nos pedidos da comunidade, mas quando se trata de um jogo tão preciso e exigente quanto VALORANT, devemos nos concentrar principalmente em manter todas as partidas justas.

—Dave Heironymus, Diretor Técnico de VALORANT